O melhor do street style de Nova York até agora

street style header - tommy ton

Foto por Tommy Ton

Sem dúvidas, uma das melhores coisas das semanas de moda ao redor do mundo é o street style. A fotografia de moda de rua é uma das partes mais divertidas desse universo, e isso só tem tomado proporções gigantescas. O street style já tem as suas próprias estrelas, tem os seus próprios mitos, sua própria complexidade… enfim, a parada está ficando grande. Muita gente diz que o que dita moda é o que está sendo desfilado nas ruas, mas esquece que o grande filtro disso tudo são os fotógrafos; afinal, é através do olho deles que nós enxergamos o que está acontecendo, não é mesmo?

Caso você não saiba, essa semana agora começou o Fashion Month, que são as 4 semanas de moda mais importantes do mundo – são as que ditam tendência tanto para os estilistas dos outros lugares do mundo, quanto para os consumidores, entendeu? São poucos os estilistas que eu acompanho o trabalho do segmento feminino, então eu foco mesmo em olhar o que está rolando nas ruas. Mas esse post não é para falar de estilo!

Hoje eu trouxe 3 fotógrafos para abordar outra coisa: a identidade de cada um. É que eu fico imaginando e me perguntando como esses caras conseguem inserir tanta personalidade nas fotos deles, já que é uma correria danada para conseguir um bom clique. Claro que a experiência é uma aliada e tanto, mas eu já estou em um nível de bater o olho e reconhecer o fotógrafo antes de ler a legenda (talvez pelo enquadramento, pelo tratamento da foto, pela orientação), justamente por ter tanto DNA deles inseridos ali.

Dois eu já tinha apresentado aqui no blog: O Tommy Ton, do meu amado ex style.com (que agora virou Vogue Runway 💔); e o Adam Katz Sinding, do Le 21ème. O terceiro é o responsável por cobrir essa semana de Nova York para a Vogue, o Phil Oh, do Street Peeper.

Gente, o post ficou gigante! Para não tomar muito espaço o blog, clica nesse link aqui embaixo para ler o resto.

Continuar lendo

Inspiração do mês: Março

Numèro Tokyo 2015 3Mesmo quando dou um break  na fotografia – coisa que eu tenho feito mais do que deveria – eu não deixo de catar foto alheia pela internet. Acho que isso é o que estimula e mantém viva a minha criatividade (ouvir música e reeditar fotos também são boas pedidas), porque é meio que uma forma de “aprimorar” o meu olhar sobre as coisas.

Em março eu voltei a comprar revistas, principalmente as de moda, que sempre estão com um recheio impecável (como o trabalho do Zee Nunes na Vogue BR do mês passado e desse). Eu tinha simplesmente esquecido como é gostoso ter a foto impressa nas suas mãos – fiquei maluco para imprimir as minhas também. Além disso, nessas últimas semanas a minha perspectiva em relação a algumas coisas mudou: Do glamour do Mario Testino, pulei para o conceito do Steven Klein (ele não está no post, mas tenho visto seu trabalho com bastante frequência); o exagero de expressões, formas e cores está dando espaço para algo mais limpo e simples de digerir (minhas reedições estão praticamente em total predominâncias neutra, quando não em Preto e Branco); se antes eu gostava dos shapes mais justos e sexys, minha paixão atual são as formas mais afastadas. Enfim, a opinião da gente sempre muda.

Colour pallettemontagem 3montagem 4Numèro Tokyo 2015montagem 2unknownmontagem 5YANN-09-MaxStreetleyCréditos das fotos:

Foto 1: Numéro Magazine Tokyo, Março 2015

Foto 2: Numéro Magazine Tokyo, Março 2015/Vogue Brasil Março 2015 por Zee Nunes

Foto 3: Neiman Marcus Março 2015 (Foto de fundo tirada por mim)

Foto 4: Numéro Homme S/S 2015 (Foto de fundo também minha)

Foto 5: Numéro Magazine Tokyo, Março 2015

Foto 6: Vogue Brasil Março 2015 por Zee Nunes/Neiman Marcus Março 2015

Foto 7: Tumblr Danielle Pictures

Foto 8: Numéro Magazine Tokyo, Março 2015/Louis Mayhew por Gregory Vaughan (Foto de fundo minha)

Foto 9: In the Mood by Yann Faucher

Até mais!

Showtime: Uma história de amor à primeira vista

SHOWTIME CAPA FOLKBOX

Eu estava mais que afundado no meu ócio de férias (tipo, submerso na preguiça), quando eu resolvi comprar algumas revistas de moda para ver se conseguia catar referências novas – e ler alguns artigos sobre o assunto. Saí de casa determinado a comprar a Vogue Brasil de fevereiro (para ver um editorial que o Zee Nunes fez para a revista) e qualquer outra coisa que me ajudasse a matar o tempo ocioso.

Chegando onde eu fui comprar a revista (fui até outra cidade só para gastar mais tempo – a quantidade de nada que eu estava fazendo era realmente muito grande), me deparei com um mundo infinito de publicações nacionais e internacionais de tudo quanto é lugar do planeta. Me perdi completamente – até esqueci o editorial do Zee – e comecei a devorar ali mesmo tudo o que eu podia (eu nem tinha cacife para levar tudo aquilo de revista): Allure, GQ, Vogue de lugares do mundo que eu nem conhecia, Harper’s Bazaar e Elle… ah! Elle!

Na dia eu já sabia que o Jean-Paul Goude (o cara é um gênio, mas ganhou visibilidade recente por fazer a capa da Paper Magazine com a Kim Kardashian) tinha feito alguma coisa relacionada à Louis Vuitton para a Elle UK, só que não foi nada que eu tivesse dado atenção… ainda bem, porque assim a surpresa foi maior.

E foi folheando essa preciosidade, que eu me deparei com o editorial do Goude. Meu queixo foi no centro da Terra. Segundos depois do meu cérebro ter dedicado cada nervo do meu corpo a reagir para aquela foto maravilhosa, minha primeira reação foi: WHAAAAAAAAAAT?! Minha cabeça chegou a formigar de tão impressionado que eu estava. Fiquei vendo esse editorial por uns 30 minutos, folheando cada página com a maior atenção do mundo. Até que finalmente consegui levantar e ir para casa com aquelas extraordinárias obras-primas passeando pelo meu imaginário. E se eu levei alguma revista? Não. O objetivo de comprar a Vogue Brasil tinha sido completamente abortado pela minha mente, e além disso… comprar material importado custa muito caro!

É claro que as fotos não são documentais, tudo que está acontecendo nas imagens foi meticulosamente planejado – isso não tira a graça do ensaio, pelo contrário, as coisas ficam mais mágicas ainda. As poses teatrais e tudo o que você pode reparar nas imagens foi pensado anteriormente. O editorial é uma parceria do Jean-Paul Goude com o Nicolas Ghesquière (estilista da “mezón”), que escolheu as modelos que estrelariam as páginas da revista.

Vamos aos créditos: Além do próprio Ghesquière, aparecem nas fotos: Amalie Schmidt, Elodie, Angel, Emilie Fouilloux, Daphne Simons, Magdalena Jasek, Mae Lapres, Emmy Rappe, Mica Arganaraz e Sora Choi; enquanto isso, Paul Hanlon fica com os cabelos da produção e Dunja Schultze assina a maquiagem; por fim, o styling ficou nas mãos de Anne-Marie Curtis.

T14203164881381102_2 T14203164881381102_6 T14203164881381102_5 T14203164881381102_4 T14203164881381102_3

Curtiu? Se quiser conferir os detalhes mais de pertinho, só clicar na foto.

Até mais!

LADO A: Fotos do Flickr e uma reflexão rápida

IMG_1822-2Foi quando a minha “carreira” na fotografia empacou que eu comecei a dar valor pra esse lance todo (empacou no sentido de fazer as minhas próprias produções). No começo era realmente muito empolgante o modo como as coisas rolavam, era foto praticamente todo dia (tive até stress por não dar conta de tanto trabalho, olha que luxo!), mas eu não sei onde eu perdi a mão para ter feito a coisa toda esfriar. Fato é que eu estou tentando voltar da melhor forma possível, até porque tanta coisa boa veio acontecendo – mesmo tendo parado as minhas produções por um tempo.

Parando a reflexão, é hora de foto (coisa que sumiu definitivamente do Folk Box). Desde que eu voltei para o meu Flickr e fiquei ligado no lance da Vogue Italia, nunca mais postei nada novo – e nem vai ser dessa vez que eu vou postar – aqui no blog.

Os retratos foram feitas com a mesma lente de toda foto autoral que eu posto: 18-55mm f/3.5-5.6 IS

IMG_2509-2 IMG_1825 IMG_2498

As fotos estão todinhas no meu Flickr (em alta definição!). Só dar uma checadinha, eu posto todo dia!

Até mais.

Tempesta – Fotos de verão sem o jeitinho carioca

(antes de mais nada o título se lê em italiano, não fui eu que escrevi errado hehe)IMG_6797Depois de passar os últimos 2 meses torrando em um calor colossal, já era mais que hora da mãe natureza dar uma tréguinha pra gente ne? O sol ainda continua firme e forte, mas pelo menos a chuva pinta uma hora ou outra para a alegria geral da nação. Outro dia, em uma dessas mini tempestades de verão, eu não estava com o astral lá em cima e a chuvinha forte só completou a vibe. Enfim, fotos sem muita pretensão e tons sóbrios são o que ditam o post de hoje. Espero que você curta. IMG_6784 IMG_6796 IMG_6794 IMG_6792 IMG_6787Até mais!

Lado A: Natural Beauté. Sobre concentração e minha foto na Vogue Italia!

IMG_6311Duas coisas que eu não faço com frequência: Trazer um trabalho meu para cá e postar aqui no blog (hehe, dediquei praticamente janeiro inteiro a aprender mais sobre fotografia e pós-produção, por isso o chá de sumiço), mas o importante é que ninguém deixou de acessar, jurava que tinha perdido o pessoal que interage aqui com o Folk Box.

Mas falando em trazer trabalho meu para cá, no começo do ano eu fotografei uma amiga minha, para ver se eu tinha superado a minha “crise de filtro criativo” (nome que acabei de inventar para definir meu carma pessoal: eu nunca consigo realizar, na foto, o que está na minha cabeça!), coisa que infelizmente não superei ainda. Isso é uma coisa que eu tento melhorar desde o comecinho da minha “””carreira””” [que já já completa 1 ano, inclusive], mas até hoje é uma batalha que eu ando perdendo. BOM, o ensaio não ficou exatamente como eu queria, só que não deixou de ficar bonito (rolou até uma produçãozinha por trás – que eu esqueci de fotografar para mostrar aqui, mas tudo bem).

Só para você se situar nas fotos:

– As referências que eu tive foram as pinturas renascentistas e as fotos do Russell James (da-lhe a “crise de filtro criativo”)

– Eu queria algo simplesmente fresco e sem muitas informações

– É um trabalho quase que 100% estético, ou seja, não tem muito significado por trás de cada foto

– O figurino foi total ideia minha (Valeu, mãe! hehe)

IMG_6313 IMG_6530 IMG_6454 IMG_6446 IMG_6423IMG_6402 IMG_6367 IMG_6337 IMG_6315Valeu de novo!
IMG_6542

NOTA IMPORTANTE! 

Na verdade não é nem tão importante assim, mas acho bacana de contar. Hoje eu acordei e me deparei com, provavelmente, a coisa mais legal que me aconteceu nessas férias (pra vocês verem como ta a mil! hahaha). Ta ligado na Vogue? Sabe a Itália? Então, ele também tem uma Vogue! E eles tem um site! E adivinha quem teve a fotinha presente lá?

photovogue italia folk boxImagina a minha alegria quando vi isso! Para quem quiser ter essa alegria também, eu explico em outro post como faz para mandar as fotos para eles (é incrivelmente simples, só ter paciência).

Por hoje é só, até mais!

Mood: Preto e Branco

IMG_3708Eu sempre fui apaixonado por fotos em preto e branco, a monocromia é algo que me representa desde que eu me entendo por gente. Mas não é para menos, acho que não tem forma melhor de alguém se expressar, que não seja apenas com dois valores visuais. O que mais me agrada em imagens dessaturadas é o silêncio delas, é a obra encarando o espectador da forma mais bonita, sabe? A melhor coisa que me aconteceu desde que eu comecei a fotografar, foi sentir esse tipo de coisa com as minhas fotos.

IMG_0849 IMG_1969 IMG_5734 IMG_6696 IMG_8045