Meet and Share: Cristo Redentor

IMG_8552Por mais incrível que pareça, morar no Rio de Janeiro e não ter visitado o Cristo Redentor não é muita novidade. Até um tempo atrás, eu era mais uma parte dos grandes porcentos que nunca tinham colocado os pés cariocas lá. Se os motivos do pessoal que não visitou esse lugar for os mesmos que os meus, lá vai eles:

  1. É um preço salgado. Para que vamos gastar 1 dia inteiro e mais R$62 (fora as outras despesas), para ver algo que estamos acostumados a encarar todo dia?
  2. É lindo, mas está sempre lá. Essas duas atrações são lindas de morrer, mas são nossas para sempre… é difícil que alguém queria tirar o Cristo de onde está. Então, a gente deixa para visitar qualquer dia desses.

Em Julho desse ano, eu vi com os meus próprios olhos o que o mundo inteiro já tinha visto e provado: a sensação de estar em um dos símbolos do turismo brasileiro. O dia estava um pouco nublado quando saímos de casa, mas o sol sorriu para nós durante trajeto.

Primeiro nós pegamos uma van que faz conveniência com o órgão que organiza o turismo no Cristo, ela nos levou do Largo do Machado até o Corcovado (o trajeto feito foi mais ou menos o do mapa acima). Depois de mais ou menos 30 minutos morrendo de ansiedade para poder chegar pertinho do que eu vi a vida inteira “daqui debaixo”, a primeira impressão que eu tive não foi as das mais gostosas.

IMG_8510

Depois de passar minutos dentro de uma trilha calma e relaxante, você se depara com isso.

Mas a gente sai das vans, enfrenta uns 4 minutos de fila até as catracas, passa o nosso bilhetinho e finalmente estamos livres para explorar o lugar – se bem que “livre” não é o que mais defina a luta para conseguir um espacinho para fazer uma foto decente. A essa hora o dia estava lindo, o céu azul e depois o sol ainda nos presenteou com um digno pôr-do-sol de Rio de Janeiro.

Apesar de muito cheio (afinal, é símbolo de turismo no Brasil e no mundo), a energia de estar visitando um lugar como esses é surreal. É  o que eu sempre digo: Nada é mais importante do que a experiência. Por mais que eu tenha visto e ouvido falar sobre ele a vida inteira, ninguém consegue traduzir o que sente quando está vivendo algo. E isso só alimenta a minha fome de viajar, viver e sentir minhas particularidades em lugares ao redor do mundo. Sente um pouco de como estava a vibe, e viaja um pouco nas fotos aqui embaixo.

IMG_8508

IMG_8530

Ele tem "só" 38 metros de altura, mas a impressão é de que tem muito mais.

É a primeira visão que nós temos da estátua. Ele tem “só” 38 metros de altura, mas a impressão é de que tem muito mais.

IMG_8738

Quem viaja sabe que selfies são mais do que liberadas, são obrigatórias. E eu estou em uma fase de me aceitar mais, então dispensei o photoshop.

IMG_8756

A vista da cidade é um atrativo à parte. Impressionante como quase ninguém fala sobre isso quando visita lá!

IMG_8652

My golden hour is better than yours.

IMG_8792 IMG_8790 IMG_8763 IMG_8751 IMG_8711 IMG_8697 IMG_8672 IMG_8670 IMG_8665 IMG_8636 IMG_8632 IMG_8631 IMG_8621 IMG_8617 IMG_8605 IMG_8602 IMG_8596 IMG_8564 IMG_8556 IMG_8553 IMG_8530 IMG_8516IMG_8785IMG_8718IMG_8741

Todo mundo tem o dever de conhecer o Cristo Redentor! Se você não é do Rio e tem planos para vir aqui, não deixe de ir. Se você é daqui, tira a desculpa das costas e sobe o Corcovado o mais cedo possível. Eu juro que de perto tudo é mais bonito, gostoso e surreal do que parece pela tela do seu computador/celular.

Acredito que a experiência para quem mora no Rio é bem mais intensa do que a do turista de fora. É muito bacana apontar para baixo e ver os lugares que passamos, que vivemos e que conhecemos. Tudo nessa cidade é uma veia pulsante e cheia de histórias: ruas, prédios, casas e pessoas. O Rio de Janeiro tem sim (muitas) adversidades, mas mesmo pecando em diversos pontos, a cidade continua sendo maravilhosa.

Os bilhetes podem ser comprados online ou nas bilheterias espalhadas em diversos bairros da cidade. Todas as informações que você precisa estão nesse link.

Até mais!